Brainstorm: Ajuda!


Estive pensando em uma madrugada qualquer, tentava encontrar uma solução para esta minha mente confusa, mas não encontrei. Não me surpreendi, pois já esperava não encontrar mesmo uma saída, já imaginava que continuaria vivendo nesta loucura que a minha mente criou... E o que fazer?


Pensei em todas as pessoas que sempre estiveram comigo, ao meu lado, pensei naquelas que lutaram junto comigo nos dias tristes, mas também naquelas que comemoram comigo a vitória sobre a escuridão, e pensei também em todas aquelas que simplesmente cruzaram a minha vida. No entanto no fim disso tudo eu me lembrei daquelas pessoas que só fizeram sofrer, algumas por crueldade, é verdade! Mas outras provavelmente nem desconfiam disso ou apenas não tem a idéia de quanta dor causaram.


“Esta é a vida!”, sei que neste meu momento de reflexão na madrugada “ouvi” da minha mente inúmeras vezes esta frase, mas preciso admitir que ainda não consegui entender muito bem o real e verdadeiro significado desta palavra, mas e daí? Não seria esta a nossa vida?


Lembro que nesta noite saí um pouco para o quintal, a madrugada estava fria, mas me senti melhor com o vento gelado cortando meu rosto e a minha alma, sentia que a cada sopro do vento ele conseguia levar embora um pouco da dor, mesmo que em doses homeopáticas.


Não sei quanto tempo fiquei no quintal sentado na escada ouvindo o som do silêncio da madrugada, não sei quantas vezes pensei no que fazer e nem sei quantas vezes pensei que a vida é complicada, mas que não existia outra maneira a não ser enfrentar tudo de frente... Lutar!


E foi assim que voltando para casa dormi quase me sufocando de tantos pensamentos tristes, tantas dores e saudades, mas ainda vivo!


Este foi apenas um desabafo, nada importante, de pensamentos grandiosos ou de algo que vá mudar a vida de alguém, mas foi um desabafo confuso da minha alma, um grito estridente, um pedido de ajuda... Não sei!


Acho que todos nós vivemos neste mundo louco sobrevivendo a cada minuto, a tanta dor, saudade, ilusão, arrependimento e tristezas, mas ainda com amigos, sorrisos e alegrias... Ainda bem!


Agora apenas sei que preciso levantar a cabeça e seguir adiante, as feridas ainda estão abertas e não sei quando ou se vão cicatrizar, mas estarei caminhando ainda que sangrando!


Agradeço a quem ler este texto, agradeço aos meus amigos e aquelas pessoas que estão sempre ao meu lado e acho que vale colocar aqui um pedaço da música “Help!” dos Beatles:


When I was younger, so much younger than today

I never needed anybody's help in any way

But now these days are gone, I'm not so self assured

Now I find I've changed my mind and opened up the doors

Help me if you can, I'm feeling down

And I do appreciate you being round

Help me, get my feet back on the ground

Won't you please, please, help me

And now my life has changed in oh so many ways

My independence seems to vanish in the haze

But every now and then I feel so insecure

I know that I just need you like I've never done before


O pior de tudo é saber que o único culpado de toda esta situação toda sou eu mesmo, afinal boa parte dos problemas são confusões da minha mente, são criações desta mente de Poeta que como escreveu Fernando Pessoa:


O poeta é um fingidor.

Finge tão completamente

Que chega a fingir que é dor

A dor que deveras sente.


E as dores “reais” que não foram criadas diretamente pela minha mente, ainda assim foram criadas por mim... Confuso? Agora talvez entendam por que eu estava pensando naquela madrugada...


Abraços


Texto: Fábio Heinen


A série Brainstorm se destaca por ser escrito em apenas alguns minutos e sem nenhum tipo de trabalho específico... Apenas o que eu penso é publicado, sem ordem, sem correção e sem qualquer tipo de lógica :P